Arquivo

Archive for fevereiro \23\UTC 2010

Monitoramento de MSN no trabalho?

Eu concordo, mas acho que a empresa não deve ficar bisbilhotando o conteúdo das conversas, caso elas ocorram, e nem usá-las contra o funcionário, quando da punição. O simples fato de existir uma conversa pessoal já implica numa perda de produtividade sua que reflete em prejuízo pra empresa e se esse prejuízo for levado a sério por quem te emprega, ah, meu filho, pode ter certeza que sua posição, a obrigação de manter seu contrato e o vínculo empregatício não serão. Afinal, ela ganha com 100 linhas de código ou com 500 linhas de discussão sobre a balada, a cerveja, o quem-pegou-quem?

Agora, eu também sou filho de Deus, não? Mesmo concordando com isso, de vez em quando tendo que apelar pro MSN pra esfriar a cabeça em determinados momentos (projeto de migração e reestruturação de dados entre pg->mysql, sem vaselina).

O que deve entrar aí é bom-senso. No meu caso, faço deste modo: manhã é horário de trabalhar duro, é horário de concentração. Depois do almoço, mais trabalho. Se o cronograma permitir, me dou ao luxo de abrir o MSN pessoal algum tempo após o almoço, se não permitir, só abro as 4 da tarde e mesmo assim, em status Offline. Se alguém com quem eu queira ter uma conversa importante estiver Online, converso um pouco, se não, vou ficar Offline até 17:30, quando o expediente termina.

Se eu estiver de cabeça muito quente, 1 hora vendo o Eclipse, tentando criar uma solução digna de MI e vejo que não vai dar certo e eu realmente preciso de descanso, abro o MSN indiscriminadamente e me permito relaxar em alguma conversa de 10 minutos. Mas isso tem que ser feito de forma esporádica, para não criar um vício que pode se tornar um grande ofensor da sua produtividade.

E só ganha quem produz, né?. Infelizmente, isso só se aplica a nós do proletariado e não no Senado. Mas isso é assunto pra eu comentar mais pra frente. E o salário, ó! (…)

Não reparem no texto meio deslocado. Eu escrevi isso em um tópico homônimo no Orkut e repliquei aqui.

Quem disse que o sistema não funciona?

Oz - J.K. Simmons
J.K. Simmons como Vernon Schillinger, 14/88 boladão em Oz, foto tirada provavelmente depois de comer o cocô do Beeeeeeeeeeeeeeeecher

The Closer - J.K. Simmons
J.K. Simmons em The Closer como Will Pope, totalmente restaurado, trabalhando a serviço da Lei e da incrível Brenda Leigh Johnson (Kyra Sedgwick)!

Oz - Chris Meloni
Christopher Meloni é Chris Keller, bicha boladona em Oz
(mostrando seus dotes para a freira)

Law & Order - Chris Meloni

Christopher Meloni, é Elliot Stabler, um investigador durão em Law & Order

Eu queria postar algo sobre o Mark Pellegrino também, mas me veio um bloqueio mental. Passei a notá-lo em Dexter, em Lost (uma entidade egípcia? wtf?), se fazendo de Lúcifer em Supernatural, CSI, Prison Break e uma porrada. É muita coisa pra assistir.

Estou assistindo a 6ª temporada de Lost – a última, mas me sinto muito deslocado por ela ser cheia de teorias. Em média surgem 21 mistérios por episódio. Muitos ainda estão pendentes de solução e não creio que todos sejam solucionados em mais 15 ou 16 episódios. A solução para o deslocamento é assistir as 5 temporadas. Mas e a paciência? Eu não curto ver reprises de séries, a não ser que passem na TV. Também preciso engatar a 2ª temporada de House M.D. e terminar a 3ª de Dexter. Uhhh, em março (ou será abril), a fudidíssima FlashForward volta!

%d blogueiros gostam disto: