Arquivo

Archive for agosto \02\UTC 2012

Sobre o 9º dígito para Symbian

Eu gostaria de fazer algo mais prático, que não sujeitasse os usuários mais leigos a se aventurar em códigos, interpretadores de linguagens de programação e linhas de comando. Até porque hoje em dia não faz muito sentido ter que usar programas de computador para determinadas tarefas se os próprios celulares podem realizá-las. Eu gostaria de fazer uma solução mais eficiente, que não dependesse de adivinhações para cumprir seu objetivo.

Para isso eu preciso de pelo menos 3 ferramentas:

  • Mais detalhes da mudança, principalmente no que se refere a “o quê não muda” para prevenir erros, como no caso da primeira versão que foi criada com a suposição de que todos os números de 6xxx a 9xxx (e alguns 5xxx) no DDD 11 são celulares, o que desconsiderava que alguns 7xxx não cabem nas regras de mudanças da Anatel.
  • Um bom conhecimento em desenvolvimento de aplicativos para a plataforma Symbian, de forma portável e adaptável entre vários modelos e subplataformas, e democrática, para que pessoas que usam celulares antigos também possam ter a mesma facilidade que as pessoas com celulares novos terão.
  • E por último, mas de extrema relevância: que a ABR Telecom não cobrasse R$ 6.000 mensais pelo uso da API do seu  serviço “Consulta Portabilidade”, que permite consultas automatizadas sem a obrigação de digitar captchas.

Não sei como são os projetos das apps que foram lançadas para Android, iOS, Blackberry e outras plataformas (dá pra notar que não sou usuário de nenhuma delas), mas eu tenho uma leve suspeita de que, por algumas serem pagas, os desenvolvedores estão pagando pelo serviço da ABR Telecom e esse valor é custeado por parte do valor que eles ganham por cada venda das apps.

O primeiro item é fácil. A internet está aí para isso.

O segundo item demanda tempo, o que eu não tenho devido a um projeto importante na empresa em que trabalho.

O terceiro eu acho impossível. Até poderia falar sobre alguma esperança envolvendo uma intervenção da Anatel, mas não tenho base técnica para isso e não tenho conhecimento dos motivos pelos quais a ABR Telecom cobra tão caro por um serviço tão simples. Privacidade dos assinantes, talvez?

Finalizando: disponibilizei a ferramenta de forma gratuita, experimental e em código aberto.

  • Gratuita porque não é justo onerar o cidadão pela mudança.
  • Experimental porque a idéia era originalmente para uso pessoal, meu conhecimento sobre o assunto é superficial e a interpretação das regras e transformação destas em uma ferramenta informatizada estão sujeitas a erros.
  • Em código aberto para que os usuários possam contribuir com sugestões e para que pessoas com mais tempo e com conhecimento suficiente possam modificá-la, redistribuí-la e quem sabe usá-la como base para futuras adaptações em outras plataformas ou linguagens.

Logo mais surgirá uma app decente para Symbian. Não pelas minhas mãos, infelizmente.

Categorias:Divagações
%d blogueiros gostam disto: