Arquivo

Posts Tagged ‘the old reader’

Querido leitor (de RSS)

Estou com um costume babaca de postar coisas no Twitter e no Facebook para logo depois replicá-las por aqui. Não sei se é bom, mas de qualquer forma é legal escrever de maneira mais extensa.

Eu, como o equivalente a estádios lotados de pessoas que não estão lá para ver um jogo mas para ler e se informar e fazer sua neurose midiática crescer – calma, respira. De novo: eu, como milhões de pessoas, também estou meio zonzo, assustado, chocado e desolado após abrir o Google Reader e me deparar com essa imagem infame:

Brincadeirinha, RISOS, a imagem chocante é essa aqui:

É… Triste.

O Reader foi uma importante ferramenta na minha vida. Na verdade, o conceito de leitura que o Reader propõe se tornou uma importante ferramenta na minha vida. Ele está no top X das minhas melhores descobertas de 2008, ao lado do Twitter. Foi essa a parceria que me fez  criar dependência pelos dois. Grandes amigos no Twitter, grandes compartilhamentos no Reader. E assim foi até anunciarem o Plus e removerem todas as features sociais do Reader. Aquele foi o primeiro apocalipse e a Humanidade perdurou por mais alguns anos, sobrevivendo no subterrâneo e fugindo das sentinelas, até que passou, passou, passou um asteróide, e nele estava escrito que em 1º  de julho o Reader morreria.

Foram dois baques, duas afrontas a um público leal que quer da internet mais do que 9gag e “humor no face”. Afirmação meio dúbia, porque, na verdade, seja qual for o conteúdo, o Reader tem um público formado por um punhado de viciados. Porque aguentar sorrindo a mesma tela todos os dias, sem muitas mudanças ao longo do tempo não é fácio e é coisa de viciado. Ou de suporte técnico, de caixa de supermercado ou de usuário de XP e IE6. Mas o barato lòco era o conteúdo e talvez por isso, nós, os viciados, não ligávamos tanto para o mesmo visual. WordPress tem feeds, Tumblr tem feeds (yay), muitos bloguinhos codificados na mão tem feeds e o Reader no final é só um proxy que arranca o layout fora e desbota um pouco das cores da viagem de um point de LSD. Mas não todas.

Aí fizeram uma petição pedindo para o Google manter a droga deles. Ao mesmo tempo surgiu uma espécie de votação para decidir e apontar qual será o substituto do Reader. Spoiler: Feedly disparado.

Eu cheguei a dar uma olhada em alguns serviços e a conclusão é de que já deveria estar usando outras opções desde o primeiro readerpocalipse. Porque no final todos são iguais: servem para ver tumblrs com scroll infinito.

Piadinhas a parte (pelo menos neste parágrafo), eu vejo uma coisa muito engraçada em toda essa comoção, principalmente sobre a petição: o Google não dá sinais de que vá se esforçar para fazer o Reader evoluir e agora temos opções realmente muito legais para substituí-lo. Mesmo que ela dê certo e convençamos (sim, eu assinei) o Google a voltar atrás com tão infame decisão, quem em sã consciência iria continuar a usar um produto que mesmo antes de ser moribundo já demonstrava uma certa defasagem perante os concorrentes?

“Anunciaram a eutanásia do Google Reader e todos (os seus usuários) correram pra puxar o fio do respirador, essa é a verdade.” – René Descartes

Um receio particular sobre a extinção do Reader era sobre conteúdos antigos que já não existem mais em suas origens, como blogs e posts apagados e nisso o cache do Reader era imbatível. Cheguei a testar o The Old Reader mas não deu certo pela ausência de cache. O Feedly, por ter um backend integrado ao Reader, mantém um cache. Considerando essa feature, o Feedly é meu eleito.

Só que eu também lia os feeds do Reader no Gravity que usa diretamente o Reader como backend. Não quero mais escrever e deixo o questionamento a ser realizado após uma profunda reflexão embasada em um post sem conclusão de um blog irrelevante: o que será de nós?

%d blogueiros gostam disto: